banner_big_gestao_florestal


Home Artigos APCER A Responsabilidade Social Empresarial e a SA 8000
artigos
    Artigos APCER

A Responsabilidade Social Empresarial e a SA8000

Anuário de Sustentabilidade 2010 - BCSD Portugal          

 

 

A Responsabilidade Social das Empresas (RSE) não é uma preocupação recente, no entanto, nos últimos anos, tem vindo a ganhar um novo impulso.

 

O conceito de RSE surge da preocupação crescente sobre a relação das empresas com a sociedade, preocupação esta que foi maximizada com a globalização dos mercados.

 

As interacções entre problemas económicos, ambientais e sociais (ex: pobreza extrema, crescimento populacional, a utilização global de energia, a poluição, a crescente urbanização e industrialização, etc), requerem respostas estratégicas que passam sobretudo pelo envolvimento directo do sector privado, como motor principal do crescimento económico.

 

Ao longo da década de 90 assistimos a uma série de acontecimentos globais que se interrelacionam e reforçam mutuamente, dando uma nova dimensão ao debate sobre o papel e responsabilidades das empresas. Passa a existir uma preocupação crescente, por parte da opinião pública, com a ausência de regulamentação dos mercados globais, interessando-se cada vez mais pela forma como as empresas afectam a sociedade na qual estão inseridas.

 

Como resultado desta nova consciência por parte da sociedade, as empresas passam a constatar a existência de alterações no perfil do consumidor. De facto, ao contrário do que era há 3 ou 5 anos atrás, quando os consumidores compram determinado produto consideram primeiro a justificação racional do que a justificação emocional, procurando justificar cada compra.

 

Tem-se assistido nos últimos anos a uma proliferação de referenciais e princípios orientadores para implementar e monitorizar a responsabilidade e a performance social das empresas. Estes referenciais incorporam requisitos que podem ser de âmbito processual e de desempenho e de carácter obrigatório ou voluntário. Os referenciais englobam, entre outros parâmetros, o diálogo com todas as partes interessadas, as condições de trabalho, os direitos humanos, a gestão dos recursos humanos e a protecção ambiental.

 

Um desses referenciais é a SA 8000, emanada pela SAI (Social Accountability International), que tem como principal enfoque a organização e nos seus trabalhadores. Esta norma destina-se a qualquer organização que pretenda, voluntariamente, garantir os mais elevados parâmetros éticos associados aos seus processos de negócio.

 

A SA8000 foi desenvolvida como resposta à diversidade de códigos de conduta adoptados pelas empresas, especialmente as que detêm unidades de produção nos países em desenvolvimento, fruto da pressão exercida pelos consumidores dos mercados nórdicos, alertando para as difíceis condições de trabalho nas empresas destes países.

 

A implementação de um sistema de gestão de Responsabilidade Social SA 8000 implica uma reflexão sobre os objectivos, políticas e modelos em vigor e deve ser utilizada como indutor de melhoria da organização e do seu desempenho.

 

A certificação de um sistema de gestão de responsabilidade social, de acordo com o referencial SA8000 surge como uma forma das organizações demonstrarem aos seus clientes, parceiros e comunidade em geral, que actuam no mercado de forma sustentável, valorizando a sua dimensão social, respeitando a comunidade que a constitui e a integridade de cada um, promovendo valores sociais e não apenas económicos.

 

A SA 8000 baseia-se num conjunto de convenções da OIT e das Nações Unidas sendo a certificação suportada no cumprimento de oito requisitos centrados na responsabilidade social:

  • Trabalho Infantil;
  • Trabalho Forçado;
  • Segurança e Saúde no Trabalho;
  • Discriminação;
  • Práticas Disciplinares;
  • Liberdade de Associação e Direito à Negociação Colectiva;
  • Horário de Trabalho;
  • Salário.

complementados por um conjunto de requisitos de gestão que conferem a sistematização e permitem a melhoria contínua associadas às premissas do Ciclo de Deming – PDCA – Planear, Executar, Verificar e Actuar.

 

Das vantagens decorrentes da certificação de acordo com a SA 8000 salientam-se:

  • Diminuição da conflituosidade laboral;
  • Transparência, aumento de confiança e melhoria da imagem perante a opinião pública e partes interessadas;
  • Empowerment;
  • Diminuição das taxas de absentismo;
  • Diferenciação positiva face à concorrência.

 

De acordo com os últimos dados disponibilizados pela SAAS (30 de Setembro de 2010), existem 2.330 certificados emitidos de acordo com o referencial SA 8000, repartidos por 62 países, representando até ao momento um crescimento de 11% em relação a 2009.

 

Em Portugal e de acordo com a mesma fonte de informação, existem 26 certificados emitidos (mais 13% que em 2009), dos quais 14 emitidos pela APCER (54% da quota de mercado). Itália é o país com o maior número de empresas certificadas SA 8000, contando com 799 certificados emitidos. A Índia posiciona-se na 2ª posição com 539 certificados emitidos (mais 26% em relação a 2009), seguida da China com 339 (mais 40% em relação a 2009). Portugal partilha a 9ª posição com Espanha.

 

A APCER é acreditada pela SAAS – Social Accountability Accreditation Services, prova do reconhecimento do trabalho efectuado na área da certificação e das actividades desenvolvidas na introdução e compreensão deste referencial na realidade nacional.

 

 

José Leitão
CEO

 

 



Voltar

Busca


mapa do site

Noticias

Eventos e Agenda

<<  Setembro 2014  >>
 Se  Te  Qu  Qu  Se  Sá  Do 
  4  5  6  7
1314
15161718192021
22232425262728
2930     

Newsletter

©  2014 - APCER - todos os direitos reservados

logoSTAMINA